segunda-feira, 22 de junho de 2009

O desespero das cassandras decadentes

Jovem, você conhece a história das eleições de 1989? Concorreram no 1° Turno: Collor, Lula, Maluf, Mário Covas, Leonel Brizola, entre outros. Você sabia que os tucanos e Brizola apoiaram Lula no 2° turno, contra Collor?

Pois é Collor venceu com uma “ajudinha” da Rede Globo (para quem não conhece a história, veja o documentário ‘Muito além do Cidadão Kane’, clicando aqui), Depois, deu no que deu, as poupanças dos nossos pais foram confiscadas, teve a Casa da Dinda, PC Farias...

Mais uma vez o Cidadão Kane brasileiro se alia às elites retrógadas. Se daquela vez a balança pendeu para o lado dos senhores de engenho do Alagoas, nos últimos dias a política paranaense sofreu um assalto, numa tentativa de desestabilizar a nova grande liderança das forças progressistas do Paraná: Beto Richa.

Vamos aos fatos. O PRTB está, até hoje, envolto de dúvidas acerca de suas convenções. O grupo de Mananssés Oliveira e Mestre Déa venceu a Convenção Municipal, que foi anulada pelo presidente estadual da sigla, Marino Teixeira. Teixeira acertou com Fábio Camargo o apoio do PRTB à sua candidatura para a prefeitura de Curitiba.

Mananssés e um grupo de mais de 20 candidatos desistiram de suas candidaturas e organizaram um comitê independente, de apoio a Beto Richa, chamado de Comitê Lealdade. Vale lembrar que este comitê não era da estrutura oficial da campanha de Beto Richa, que foi coordenado por Alexandre Gardolinski. Foi justamente Gardolinski e Rodrigo Oriente (o sombra do ‘Fantástico’) que armaram as gravações que foram parar nas mãos da Rede Kane.

Todos os que viram ou ouviram falar dos vídeos se perguntam: da onde veio o dinheiro? Como o vídeo foi parar nas mãos do Cidadão Globo?

Hoje alguma luz foi jogada sobre a escuridão. O sombra teria procurado o ex-coordenador financeiro da campanha de Beto Richa, Fernando Ginhone, que, numa ironia para o Sombra, foi gravado por Ginhone.

No vídeo de Ginhone, Oriente responde a nossa primeira pergunta: “O Feltrin havia prometido um apoio para o Alexandre. Por que o Feltrin não seria candidato e o Alexandre Gardolinski seria. Em função daquele problema com o PRTB, o Alexandre acabou deixando de ser candidato e o Feltrin, por outras razões, ele resolveu se candidatar. E o Alexandre acabou prometendo para o Feltrin o apoio do comitê (...) O apoio do pessoal dele (Gardolinski) foi para o Feltrin. Só que ele acabou pegando o dinheiro do Feltrin, pra fazer eventos (...) ele (Gardolinski) pegou o dinheiro do cara (Feltrin) (...) pegou dinheiro meu e pegava e comprava bens pessoais para ele.”

Respondendo à segunda pergunta: O vídeo foi, segundo Oriente, retirado de seus computadores após uma visitinha do pessoal do núcleo de repressão. O vídeo, em posse do governo do estado, não foi divulgado, pois, teria sido apreendido de forma irregular. Surge então a pressão de grupos com interesse em atingir Beto Richa de que Oriente levasse as gravações à Justiça Eleitoral. Assim o vídeo vai acabar nas mãos da Rede Globo.

Rodrigo Oriente é claro ao confirmar que sofreu pressões de diferentes grupos, com algumas coisas em comum:

· De certa forma, são opositores de Beto Richa

· Têm interesse de que Beto “saia do caminho” da sucessão estadual

Oriente declarou: “várias pessoas que estão interessadas que essa denúncia aconteça. Vejam, é uma denúncia com interesse... Uma denúncia fabricada.”

Beto Richa foi eleito mais de seis vezes o melhor prefeito do Brasil. Reeleito com mais de 77% dos votos em 2008, é um fenômeno político em todo o Brasil. Nunca disse que era candidato ao Palácio do Iguaçu, contudo o pulsar das ruas pede sua candidatura. A última pesquisa apontou 47 % de intenções de voto, sem que Beto Richa tenha se declarado candidato. Enquanto os seus adversários a cada entrevista que conseguem dar fazem questão de reafirmar suas pré-candidaturas.

O Cidadão Kane quer mais uma vez influenciar o futuro da história política, desta vez no Paraná. É hora de repensarmos a grande mídia. Uma mídia que não cumpre com sua função de informar; pelo contrário, serve aos interesses escusos das cassandras decadentes da política paranaense.

As velhas elites paranaenses estão com medo. Medo de perder o cargo de comissão. Medo da morte política. Medo de cair no esquecimento.

Todos sabemos que o jeito de fazer política do Beto é agregador, é uma política voltada para as pessoas e não para as elites carcomidas, que tem cadeira do Paraná no Senado, que desde a redemocratização governam (ou governaram) o Paraná por mais de 20 anos, que desde o Império estão governando o estado.

Uma tempestade num copo de água foi levantada. Tenho certeza de que o Beto Richa mostrará aos que o caluniam que isso não passa de uma armação a fim de manchar sua imagem. Vamos ter consciência e responsabilidade para apurar a verdade e punir os (i)responsáveis que quebraram a lei, entretanto, não vamos nos calar ante os abusos do ‘4° poder’, que se aliou ao poderio financeiro das velhas elites paranaenses na tentativa de confundir a opinião pública.



Nenhum comentário: